Neurons Hammer "Martelando os Neuróneos" Nestes blogs, além dos assuntos relacionados com a minha vida privada, encontro também, espaço para tecer reflexões de vida, de interesse social, criticando e sugerindo soluções para o País

16
Out 13
O que eu gostaria de sugerir é que Moçambique, no que tange à exploração dos recursos naturais (principalmente no que diz respeito á industria extractiva) disponíveis em todo o país, que as políticas sejam inclusivas e o fruto dessa exploração beneficie devidamente o povo moçambicano sem excepção por via do modelo até agora em vigor de distribuição da riqueza nacional aos moçambicanos que é o acesso ao emprego.

Gostaria que Moçambique fosse economicamente independente do extrageiro para que as nossas políticas educativas fossem ao encontro dos verdadeiros objectivos da sociedade moçambicana e não apenas ao agrado dos patrões. Gostaria que as riquezas do país fossem propriamente do Estado e jamais individuais para que aqueles Ministerios que não injectam dinheiro ao aparelho de Estado, como o nosso, de Educção, tenham a fatia do bolo que precisam para o alcance das suas metas. Nós queremos formar educandos com qualidade e não apenas apresentar números aliciantes aos superiores hierárquicos enquanto que na verdade sabemos que as futuras gerações estarão repletas de analfabetismo funcionais.

Estou muito preocupado com O Ministério da Educação porque é o que possui a chave do sucesso dos moçambicanos atendendo e considerando que, a educação é o motor do desenvolvimento de cada país.

Gostaria que os recursos naturais que hoje são objecto de debate a nivel nacional, encaixassem muito dinheiro nos cônfres do Estado para que a productividade educativa seja uma realidade. O Homo economicus em Moçambique, creio eu que é uma realidade, olhando para aquilo que são os princípios capitalista. A vida, neste século, é orientado pelo capitalismo. A dependência ao dinheiro é maior. A corrupção que se fala em todo o mundo incluiondo Moçambique, é devido ao dinheiro. E o que dizer do pobre que nada tem? Excia senhor Presidente da República, o dinheiro nos faz falta. Fico muito chateado quando vejo os estrageiros a enriquecerem em dentrimento dos moçambicanos. Vamos desenhar estratégias que beneficiem também o cidadão comum, o mais pobre.

Queremos o Moçambique incusivo onde todos se sentem a ganhar e orgulhosos com a sua moçambicanidade. sugiro ainda que, as políticas implementadas para com as taxas pagas pelos investidores deixam de girar nos 4%, ou 5% mas sim, que subam até mais ou menos até 10 ou 20%, para que o nosso país tire proveito da extração mineira e dos restantes investimentos. Nós (o povo) não nos coformamos com o crescimento económico mas sim, estamos mais preocupado com o desenvolvimento económico, algo que deve se fazer sentir na vida de cada um de nós.

Por favor, dêem uma olhada na educação, com muita atenção, verão como ela é muito relevante. Foi assim que paises como Rússia, Estados Unidos da América, Japão, França, Alemanha e muitos outros desenvolvidos poderam chegar até ali. A tecnologia que nós consumimos é graças a educação...
publicado por Julio Khosa às 18:53

Outubro 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
12

13
14
15
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

comentários recentes
Eu gostava de pedir um espaço (terreno) ao estado,...
Deus saber porque criou raças diferentes, os que s...
Acordem.Deixar essas ideias do marxismo leninismo ...
COMO QUE FICOU O ARQUITECTO DEPOIS DE MANDELA SER ...
Homossexualismo: sim ou não?Devo eu, fazer filhos,...
Olá :)Este blog tem andado muito "sossegado", faz ...
O povo é carneiro, existem pessoa que estão a vive...
Boa tarde, Sr. Sá.Não esperava uma observação emoc...
Agora sim, perfeita e totalmente legível. o tamanh...
Boa tarde, senhor João Sá.De referir que a sua ap...
blogs SAPO
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO